sexta-feira, 25 de Maio de 2007

Atletismo - Triplo Salto

O Triplo Salto é um salto horizontal muito complicado e exigente. As suas origens remontam aos antigos Jogos Olímpicos dos Gregos, quando não existiam regras e os atletas podiam dar dois pulos e um salto, ou três passos e um salto.

O objectivo deste tipo de salto é atingir a maior distância possível entre a chamada e a queda, devendo o atleta realizar um salto a pé coxinho (hop), uma passada saltada (step) e um salto final (jump). A tábua de chamada, está a 13 metros da areia para os homens e a 11 metros para as senhoras. O comprimento do salto é medido a partir da tábua de chamada até onde aterra o salto.
  • Os saltos são realizados num espaço com pista de balanço, zona de chamada e área de queda, aplicando-se as regras gerais do salto em comprimento.
  • O primeiro salto deve ser efectuado com o pé de chamada, a passada saltada com outro pé e, por fim, a recepção a dois pés.

Componentes do salto:
1. Salto (hop):

  • Efectuado com a perna mais forte;
  • Tempo de contacto com o solo menor que no salto em comprimento;
  • Menor diminuição velocidade horizontal;
  • Grande importância do equilíbrio e da coordenação de movimentos, o que determina os próximos saltos;
  • Menor rebaixe do centro de gravidade;
  • Troca de pernas em fase de voo (início de movimento de tesoura);


2. Salto Step ou Parada:

  • Inicia-se com o contacto da perna de impulsão em cheio com o solo (maior sua absorção de impacto);
  • Pequena flexão de perna de impulsão (maior tensão elástica);
  • Perna de impulsão sofre grande pressão (até 6 vezes o peso do atleta)
  • A chamada é realizada com um movimento de "patada"onde o saltador faça um movimento brusco com a perna para trás e para cima, tentando assim reduzir a perda de velocidade horizontal;
  • Fase de voo, correcção do equilíbrio através da rotação horizontal dos braços, colocando o centro de gravidade no lugar.

3. Salto Jump:

  • É aquele realizado com a perna de elevação (perna mais fraca)
  • Toque sobre a planta do pé (maior absorção de impacto);
  • Movimento de "patada" activa na chamada para reduzir a perda de velocidade horizontal;
  • Maior tempo de contacto com o solo;
  • Fase de voo próximo do salto em comprimento. A correcção do equilíbrio é feita através da rotação horizontal de braços, na fase de voo.

Limitações

  • O segundo salto deve ser dado com a mesma perna que o primeiro.
  • O terceiro salto deve ser dado com a perna contrária ao do primeiro e segundo salto.
  • O pé inactivo não pode tocar o solo;
  • Não se pode, ao saltar, cair fora da pista ou da caixa de areia.
  • O salto é considerado nulo se na chamada, o atleta pisar uma linha marcada com plasticina na tábua de chamada, se ultrapassar a tábua, ou uma parte do pé passar o limite da tábua de chamada.

Curiosidades:

  • O recorde mundial de triplo salto masculino pertence ao britânico Jonathan Edwards, com 18.29 metros, marca datada de 7 de Agosto de 1995, em Gotemburgo, na Suécia.
  • Quanto a atletas femininas, a ucraniana Inessa Kravets alcançou o recorde mundial nesta prova, em 10 de Agosto de 1995, também em Gotemburgo, na Suécia. Fez um salto de 15.50 metros.
  • Em Portugal, Nelson Évora bateu recentemente o antigo recorde nacional saltando 17,23 metros, em Gotemburgo, no dia 10 de Agosto de 2006.
  • A atleta feminina Cristina Morujão, detentora do recorde nacional desta prova, tem como marca 13.57 metros, conseguidos na Maia, em 28 de Junho de 1997.

O português Nelson Évora e o britânico Jonathan Edwards.

Nota: todos os recordes considerados são recordes de pista ao ar livre.

Proposta de: Vania Evaristo, 11º A

Sem comentários: